sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Então...

até p'ró ano!

Entrem com os dois pés, porque se entrarem só com o pé direito entram coxos...

Para os optimistas, um excelente ano. Para os realistas, um ano o melhor que se puder dentro desta crise onde andamos. Para os pessimistas... nem sei que dizer.

Beijinhos a todos.

"Come ao menos uma sobremesa... Pequenos Gatos!"

2011 / 2012

Estive a rever o meu post de passagem de ano do ano passado e verifico que estava muito mais optimista do que este ano.Não me sinto com tanta esperança, não vejo que para ultrapassar  próximo ano baste a "saudinha" que falei (até porque para o ano não vamos poder estar doentes, correndo o risco,com os aumentos que vêm aí na área da saúde,  de não ter dinheiro para pagar as consultas).

2012 não vai ser um ano para viver. Vai ser um ano para sobreviver. Vai ser um ano em que tudo farei (como sempre, mas com ainda mais esforço e menos meios) para que nada de básico falte aos meus filhos. Dirão os optimistas que o importante é ter esperança, que tudo se resolverá. Diz aqui a realista que o importante é não me fiar naquilo que os outros dizem e fazer pela vida, porque esperança é coisa que tenho desde sempre e não é por isso que estou melhor que há uns anos atrás.Tudo se resolverá talvez, mas não sem muitos sacrifícios pessoais (meus e dos meus), não sem privações de várias ordens.

Não me peçam para estar optimista, porque olhando à minha volta não tenho razões para isso. "Ah e tal, queixas-te de barriga cheia, tens trabalho e isso é muito bom." Certo. Nesse aspecto, seria mentirosa e insensível se dissesse que isso não é "um luxo" nos tempos que correm. Mas (e há sempre um mas), com os cortes que já sofri este ano, com os cortes que vou sofrer no ano que vem, a vida não vai ser fácil ou pelo menos não vai ser aquilo a que devíamos todos ter direito, antes pelo contrário.

Por isto tudo, não espero nada de 2012. Não peço nada a não ser serenidade para ultrapassar tudo o que o ano novo trará e capacidade para me levantar sempre que me preguem mais uma rasteira. As nódoas negras nos joelhos já são muitas...

Último dia de trabalho do ano

Hoje a disposição esá ligeiramente melhor.

Bom dia.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Ia preparar o post tradicional de passagem de ano

mas o meu espírito hoje está tão negro, tão negro, que não ia sair coisa boa, de certeza.

É melhor mas é deixar o post pata amanhã. Pode ser que esteja com melhor feitio...

Aquele anúncio da Coca-Cola é para convencer quem?

Quem não tem nada para comer? Quem não tem casa para viver? Quem não tem qualquer perspectiva de emprego nem de futuro? O Fado é Património da Humanidade? Pois, vai servir para cantar na esquina da rua para ver se alguém dá um esmola...

Desculpem-me, mas hoje estou muito amarga.

Oração da serenidade

"Ó Deus, concedei-me Serenidade para aceitar as coisas que não posso modificar, Coragem para modificar aquelas que posso e Sabedoria para perceber a diferença.


Ámen."

Hoje preciso dela.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Sangue do meu sangue

Os meus filhos gostam tanto de beijinhos e festas como eu. É tão bom receber um abracinho apertado de cada um deles! E as beijocas repenicadas? É que até o mais velho (quase com 18 anos) mos dá!

Enchem-me o dia!

Sei que tenho uma relativamente boa auto-estima

quando ouço coisas que me deviam deitar a baixo, mesmo derrotar mas simplesmente as ignoro, sabendo que quem as diz não tem importância nenhuma.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Não sei o que é que é mais giro

se o princípio , se o meio, se o fim...

Bom dia!

Como já disse, gosto muito do meu Natal. Passado em família (uma grande família, apesar de já ter sido maior), muito caseiro. Mas este ano, o Natal foi dos melhores de há uns anos para cá. Acho que não me lembro de rir tanto há bastante tempo.

Foi muito, muito muito bom.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

A quadra natalícia aqui pelo estaminé

muita gente de férias, reina a calma. Hoje sinto uma serenidade como já há muito tempo não sentia. O trabalho está em dia, tudo é feito com a calma que é necessária e que tantas vezes falta.

Hoje é um bom dia.

25 dias para o Natal, 25 músicas (22)

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

É hoje não é?

Bem-vindo Inverno!


daqui


Contaram-me (eu não vi)

que passou uma reportagem num telejornal de um dos nossos "maravilhosos" canais sobre a crise e as prendas de natal. Perguntavam, então, a uma senhora como iam ser as prendas este ano ao que ela responde "ah, este ano, por causa de crise, prendas só mesmo para as crianças." "Então e já estabeleceu um plafond?" "Sim, sim, claro. 200€...para cada um."

...

Eu tenho andado calada sobre esta conversa de nos mandarem emigrar

mas isto já é demais!

Porque é que não emigram eles?

25 dias para o Natal, 25 músicas (21)

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Não sei cá porquê

mas acho que este ano há-de haver muita gente por aí a "deitar pelos olhos" compotas, bolachinhas e outras coisas assim. Se o ano passado ainda eram poucas pessoas a oferecer este tipo de prendas, este ano parece que é uma febre que anda por aí (a crise assim o dita...).

Não é uma crítica (até porque eu o ia fazer se não tivesse ficado decidido que só se davam prendas aos miúdos), é apenas uma constatação.

25 dias para o Natal, 25 músicas (20)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Só eu é que estou com problemas em aceder ao meu blogger porque diz que tem incompatibilidade de browser?

não tem, mas a mesnagem é essa.

No início do próximo ano

vou iniciar-me na aprendizagem da costura (com máquina). Vamos lá a ver se tenho jeito para a coisa.

Posts que li e que gostei (47)

Este. É escrito por um homem, por isso não vale a pena o argumento que as mulheres dizem mal porque têm é inveja.

Estou velha. Decididamente estou velha

Ontem, no autocarro para casa, tinha dois "jovens universitários" atrás de mim. Ela a cada três palavras que articulava inseria um "tipo" no meio delas. Ele usava mais palavras inglesas que portuguesas na conversa que vinham a ter, para além dos "iá" da praxe e das asneiras de primeiro escalão.

Depois, já no balneário da piscina onde a minha filha se equipava para a aula, outras miúdas (com idades de 13-14 anos) conversavam também sempre com o "tipo" na boca.

E a confusão que isto me fez? A idade pesa. Não há dúvida.

25 dias para o Natal, 25 músicas (16)

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Eu almoço ao meio-dia, a minha colega à uma

E eu gosto muito desta combinação. Porque à uma é quando a maior parte do pessoal vai almoçar e há dias em que durante uma hora se faz um silêncio tão bom que me retempera para o trabalho da tarde.

Alegria no trabalho

percebo perfeitamente e apoio totalmente. Agora adultos de 30 e 40 anos em brincadeiras de infantário... não percebo.

25 dias para o Natal 25 músicas (13)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

E de prendas para os miúdos

já só me falta a do meu filho mais velho e porque o que ele gostava de ter ainda não "saiu". Tudo prendas escolhidas a dedo para cada personalidade, sem loucuras consumistas, até porque não há "cheta" para isso.

Linda menina que eu sou...

O Natal este ano

O Natal este ano é dedicado ao comer e ao beber. Ficou estipulado que apenas os miúdos receberiam prendas. Os graúdos limitam-se a comer, beber e conversar. Cada um de nós está encarregue de trazer uma iguaria (para além do jantar tradicional de bacalhau com batatas cozidas e couves, muitas couves).

Vai ser mais um Natal bem passado. Quentinho, aconchegadinho, docinho. E barulhento. Muito barulhento.

25 dias para o Natal, 25 músicas (12)

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

25 dias para o Natal, 25 músicas (7)

E o que é que eu faço para tentar não pensar nos azares?

Mantas para os meus filhos. Esta é foi para a miúda mais nova.



Está em curso a do miúdo do meio.

É por isso

que mensagens como esta

me soam a blábláblá.

A minha colega diz que sempre ouviu dizer que uma pessoa com azar é azarada toda a vida

Eu sou a prova viva. Por mais que lute, por mais que tente, por mais que faça, todo o mal vem bater à minha porta. Neste momento, tenho um arranjo no carro para fazer (que tem mesmo que ser feito senão não passa na inspecção) que tem um orçamento à volta de 500€. E não é para ser feito na oficina da marca, é na oficina de um amigo. Recebi menos de metade do subsídio de Natal e vai servir para pagar seguro do carro e IUC. Para o ano, em subsídio de férias (que costumava receber em Janeiro) e sem subsídio de Natal, onde vou eu buscar o dinheiro para fazer este arranjo?

Agora recebi um aviso de entrega dos correios de uma empresa que trabalha com vendas, para ir levantar. Eu, que não comprei nada (há muito tempo que não compro nada que não tenha apenas a ver com comida ou roupa para os miúdos), até estou com medo de ir ver o que é. Cheira-me que vem lá mais uma surpresa desagradável.

Tudo se resolve?Claro que sim. Sempre consegui resolver os problemas. O problema é que quando resolvo um, vem logo outro. Não consigo estar descansada mais que um ou dois dias.

Sorte? Existe sim, mas para aqueles que nasceram com o rabo virado para a lua. Eu nasci com ele virado para o chão...

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Não é muito, pois não?

Hoje ao almoço comi de sobremesa um crepe com creme de limão e polvilhado com canela. Logo de seguida, a minha irmã veio ter comigo com uma fatia de bolo de bolacha feito por ela e que trouxe para eu dar opinião (opinião super positiva, que estava muito bom).


Gulosa, eu???

Toda a gente gosta do Elmo!

25 dias para o Natal, 25 músicas (6)

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

São 15.35h e estou de rastos

Ainda falta muito para o feriado?

Eu sei que podia ir ao goolgle, mas gosto mais de perguntar aqui

o que quer dizer "preppy"? Segundo entendi é um termo ligado à "fashion", ou à moda como se diz na minha terra...

Agradeço antecipadamente o esclarecimento, que isto de ser "povo" dá nesta ignorância.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A propósito de um dos últimos posts que li no blog "Not so fast"

Sempre fui uma pessoa muito prática no que diz respeito à roupa. Não vou em modas (e não tem nada a ver com dinheiro, porque agora até a loja mais barata vende roupa inspirada na moda), visto aquilo com que me sinto bem (e dentro do bom senso) e ponto final. Se tenho calor uso roupas leves, se tenho frio "abafo-me". Não uso sapatos que me provoquem calor ou frio e muito menos que me apertem os pés .

Isto tudo a propósito do que eu vinha a pensar no autocarro hoje de manhã ao olhar para uma passageira que vinha toda enchouriçada com camisolas, cachecóis e por cima trazia um casaco grosso, com mangas... pelo cotovelo. Eu, com o meu "cobertor" vestida, só perguntava (para dentro claro), qual o objectivo daquele casaco. Tapar o frio? Tudo certo a nível do tronco, mas os braços... Lá está, era um casaco que eu já tinha visto em revistas, em blogs de moda e por aí.

Eu sou "povinho" e com orgulho. Da Margem Sul (haverá mais suburbano que isto?). Andar desconfortável porque é moda, por ser cosmopolita, apenas por puro seguidismo, tenham paciência mas não.

O meu filho do meio começa hoje a usar óculos

É pitosga como a mãe. A questão não se põe em ele ter de os usar. A questão põe-se em: quantas vezes por semana irei ao oculista mandar arranjar os óculos tortos, partidos, sem lente? O irmão mais velho, que quando era da idade dele não tinha nem metade do "desassossego", teve 4 pares de óculos (fora os arranjos) entre os 4 e os 8 anos.

Estou a fazer assim uma conta de 10 para este...

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Porque sem actos não existem consequências

e porque se protesto e não concordo com o que estão a fazer ao meu país tenho que fazer alguma coisa, agir, demonstrar o meu protesto e não ficar à espera que sejam dos outros para mudar alguma coisa:

HOJE FAÇO GREVE!

Não me venham dizer que não adianta nada. Todos os dias me esforço. Todos os dias trabalho para o país andar. Mas continuar a deixar os governantes fazer o que estão a fazer e ficar de braços cruzados, resignados, aceitando tudo o que eles dizem, isso não adianta nada.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Estou a imprimir um trabalho

que já vai p'raí em 1000 páginas "and counting"...

Ontem a minha prima fez anos

E estive mais uma vez com a minha família. A minha família que parece uma família siciliana. Muita gente, miúdos e graúdos, muitas conversas, comida caseira da boa, um final do dia óptimo, com as mentes bem distante dos problemas do dia-a-dia. Ainda por cima jogo do Benfica, visto por uma família com metade benfiquistas metade sportinguistas. Uma festa!

São 4 gerações juntas. Os "maiores" que eu (5), os do meu tamanho (7), os pequenos (3) e os ainda mais pequenos (4). Num universo que vai dos 6 meses aos 73 anos.

Posso dizer que ontem foi o ensaio geral para a noite de Natal. E posso dizer que pelo ensaio, a "peça" vai ser aplaudida de pé!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Afinal não se foi totalmente com esta decisão para a frente. Apesar de se ter limitado muitíssimo o uso do aparelho durante os dias de trabalho/escola, existem certas "tentações" que levam a que não abdiquemos da televisão por completo de segunda a sexta.

Uma dessas tentações é a série "Downton Abbey". Uma série que me consegue agarrar ao ecrãn do primeiro ao último minuto. Acabou a 1.ª série ontem. Mal posso esperar pela 2.ª.

Hoje estou assim


danada, danada, danada! Porque uns fazem o que querem e os outros é que se "lixam".

!

E depois todos protestam, protestam, protestam, mas quando chega a hora de agir, metem o rabo entre as pernas e ficam mansos!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A minha miúda mais pequena está de parabéns

daqui

Não tenho palavras para descrever o quanto gosto de ti. Mesmo com as tuas birras, mesmo com a tua teimosia, mesmo com o teu "mau feitio". Quando me abraças e dás aqueles beijinhos tão, tão, tão apertadinhos que até fico dorida nos maxilares, esqueço tudo e só sei que te amo incondicionalmente.


PARABÉNS PRINCESA!
(a cor-de-rosa que é a tua cor favorita...)

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Posts que li e que gostei (46)

"O senhor ministro da saúde, cá beijinho meu doce, diz que há 1000 médicos especialistas a mais, a senhora ministra da justiça diz que os guardas prisionais ganham para dormir, o senhor ministro da educação diz que bom mesmo é despedir 30000 docentes do ensino superior e deixar outros tantos do ensino secundário sem colocação, o senhor ministro dos negócios estrangeiros diz que vai fechar sete embaixadas, a senhora ministra da agricultura acha que governar é desligar o ar condicionado e por aí fora.


De forma sucinta o plano de governação destes ultra-super-especialistas-altamente brilhantes-catedráticos do raio que os parta é cortar nas pessoas. Parece uma conta simples cortamos pessoas e poupamos dinheiro. Apresentamo-nos à Troika como meninos muito bem comportados que cumprimos o que nos mandam sem nenhuma falha. Educadinhos que somos enquanto povo não nos manifestaremos, não atiraremos pedras, não gritaremos nem sequer nos vamos revoltar. Afinal, bem vistas as coisas, a culpa até é nossa que nos atrevemos, vejam bem, a sonhar com uma vida melhor como nos prometeram o cavação, o guterrito, o cherne, o pedrito santana, o socas e seus adjuntos. Cambada de otários. Agora é ver os comentadores de economia a rejubilarem quais porcos na lama com a perda de poder de compra das famílias, com o empobrecimento dramático a que assistimos. Palhaços. Jose Gomes Ferreira se te apanho na rua mando-te uma pedra.

O problema desta equação é simples: estão em causa pessoas, não são números, não são gorduras, não são objectos supérfluos, são pessoas. Pessoas que têm filhos, que precisam de comer, que têm de ter um tecto. Uns mimados a precisar de tanta coisa, parece que oiço essa suma inteligência que é o nosso primeiro dizer. Um governo deve ter como primeira preocupação o povo. Não a Troika e o FMI e o mercozy. Se o governo não tem o povo como preocupação fundamental então não serve. E escusam de me dizer que é absolutamente necessário que eu continuo a achar que uma política que não promove o crescimento e não defende as pessoas é uma política que não presta."
 
Da MUXY-MUXY, que está de volta à blogosfera e com quem eu concordo totalmente neste post

Eu sou dadora. E tu?

Tornei-me dadora de medula óssea no dia em que fiz a minha primeira dádiva de sangue. Já lá vão 3 anos. Umas respostas a umas perguntas simples que me fizeram, um tubinho de sangue e... já está.
O Gustavo Martins precisa de ajuda.  Tantos menino(a)s (e não só) anónimos também. Do que estás à espera para os ajudares?

Mais

Neste país só os cumpridores das suas obrigações, que pagam os impostos no prazo e não aldrabam é que são prejudicados em tudo e mais alguma coisa.

Os grandes aldrabões e os grandes caloteiros, esses... estão na maior.

Sabem quando uma pessoa está embaixo, bem no chão?

Há sempre alguma coisa que surge para ainda vos calcar mais...

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Há dias

em que nos sentimos uma porcaria. Hoje é o dia. Só tenho vontade de me enfiar num buraco e não sair de lá nunca mais.

Razões? Todas e mais alguma. Sem excepção.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Arrumações

O meu posto de trabalho tem um armário de duas portas, com prateleiras, do tecto ao chão. Andei a fazer arrumações e chego à conclusão que guardo o que preciso e o que não preciso. Não tem explicação a quantidade de coisas que deitei fora. Neste momento tenho um armário meio cheio. Com coisas que preciso.

Vamos ver se consigo mantê-lo assim.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Sobre casas

Não gosto de casas minimalistas.  Acho que lhes falta calor. Não gosto de casas com móveis direitos.

Gosto muito de casas com mobílias brancas (e não só, vendo bem...) rústicas, as mesas de madeira com tampos desgastados pelo tempo, com assessórios (cortinas, almofadas, mantas) coloridos.

Gosto de divisões "desarrumadas" pelos miúdos. Gosto de recordações espalhadas pela casa, sejam elas antigas ou recentes (obras de arte feitas pelos miúdos, por exemplo).

Gosto de cozinhas claras, com luz, enormes, com espaço para a família.

Gosto de casas com um toque pessoal. Com "personalidade". Não gosto de "casas IKEA", i.e. casas catálogo.

Pois...

para pensar.

Ele há coisas...

acabei de saber que falo com a mãe de um colega da minha filha quase todos os dias (somos colegas de empresa e de função) sem sequer imaginarmos que os nosso filhos são colegas (bem... tantos "colegas"). Já nos cruzamos nas reuniões de pais mas como o nosso contacto diário é, basicamente, telefónico, nunca nos tinhamos visto pessoalmento no trabalho.

Foi do género "Aaaah, tu é que é a mãe da..." e "nunca pensei que fosses tu a mãe do ...". Realmente, o mund é muito pequenino

Existem certas coisas que fazemos sem pensar

Depois pesam-nos tanto na consciência que daríamos tudo para poder voltar a trás e rectificar o erro. Ontem foi dia. Não voltará a acontecer. Prometo.

Sei que tu, filha, até já esqueceste, mas eu não consigo deixar de te pedir desculpa.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Galo, galo...

é ontem ter estado um dia maravilhoso e a pequena lá de casa ir hoje, num dia chuvoso, a um passeio da escolinha.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Eu não disse que dias assim me dão boa disposição e sorte?

Ganhei 118€ no Euromilhões com uma aposta de 2€ feita num impulso, porque até nem costumo jogar! A mim, que desde que me lembro o máximo que ganhei foram 15€.

Nesta altura do campeonato, nem imaginam o bom que é receber este dinheiro.

Já disse que gosto do Outono?

Ninguém imagina o que estes dias cheios de sol (mas com frio) fazem à minha alma... sinto-me como que renovada, pronta a enfrentar tudo e todos!

É segunda-feira,

pois é. Mas é uma segunda-feira cheia de sol e com frio, uma combinação que eu gosto muito.

Boa segunda-feira!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Então mas... não são os socialistas que se vão abster na votação do Orçamento?

Contestam o quê? Que isto é uma afronta a (quase) todos os portugueses, é. Mas quando não se concorda, está-se contra, não se abstém. Esta é a minha ideia.

"Queres saber para que queremos os teus subsídios (e o resto do ordenado...)?"

Para coisas como esta...

Pergunta: Qual terá sido a "continha" por este trabalho?

A Re-food precisa de ti!



Espalhem a notícia por aí!

Posts que li e que gostei (45)

Este. Porque vem um pouco na linha daquilo que escrevi num post de ontem. Viver para trabalhar. E o que resta depois?

Devia ser proibido dar más notícias à sexta-feira

Bem podiam ter esperado por segunda para me dizerem o pouco que vou receber de subsídio de Natal (o último, é de guardar o recibo...). Assim como assim, à segunda já estou infeliz por ser segunda...

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

E ao dia 3 de Novembro...

passamos ao look Natalício.

Gosto do Natal, o que é que querem?

Não consigo encaixar

o conceito de "viver para trabalhar". Que neste momento grande parte de nós trabalha para (sobre)viver, isso é ponto assente. Que se trabalhe por gosto e sem obrigatoriedades, completamente de acordo.

Agora trabalhar até à exaustão sem ter necessidade disso... não, decididamente eu não sou assim. Decididamente, prefiro a calma de uma noite bem passada com os meus do que a cegueira de conseguir mais e mais e mais. "Ah e tal, estou a assegurar o futuro dos meus, tenho que me preocupar com o amanhã...". Tudo certo. Eu também me preocupo diariamente com o bem-estar dos meus e com os meios para lhes proporcionar uma bom futuro. Mas também aprendi com uma grande "professora" que o bem-estar não são só os bens materiais, são os mimos, são a atenção, são o tempo que lhes dedicamos. Claro que sem trabalho não há dinheiro, sem dinheiro não existem condições básicas. Disso eu sei  (sou mesmo perita no assunto...). Mas daí a abdicar de todos os prazeres que o dinheiro não compra, vai uma distância muito, muito grande.

A vida tem tantas coisas que o dinheiro não compra. Aquilo que eu gosto de fazer, para mim, é um passatempo, não é uma obrigação.

daqui

Coisas boas

E o bem que me soube almoçar hoje com uma amiga, daquelas amigas com quem não precisamos de estar todos os dias, mas que sabemos que estará lá sempre, em qualquer altura, para nos apoiar?

Não tem "preço".

O do Rui Reininho com o Quim Barreiros tem piada e tal, mas para mim este é o melhor dueto improvável

Hoje foi dia.


 Gosto de pensar que hoje salvei uma vida. Hoje adquiri super-poderes.

Pergunta:

As meninas fashion que usam galochas, andam com elas todo o dia no trabalho (escritórios e afins)?

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Nunca mais é sábado!

Com um dia de todos os Santos tão bem aproveitado (em casa, que não há dinheiro para mais), é um crime não poder dar seguimento ao mesmo.

Como dizia o outro "oh se eu fosse rico..."

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Pois, agora é que vai ser

Dantes eram só os colégios privados que podiam escolher o alunos que queriam e os que não queriam ter na sua escola. Todos sabemos que é assim, por muito que queiram dizer que não.

Agora, o Sr. Ministro da Educação, que todos já percebemos que quer acabar com os ensino público, decidiu que as escolas públicas passarão a poder fazer o mesmo. Ou seja, escolas públicas de primeira e escolas públicas de segunda. Ou alguém acredita que não é isso que vai acontecer com esta medida?

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

E o vento de hoje

já me levou um chapéu de chuva. Vamos ver se não me leva o segundo quando logo sair.

Poupanças que até nos fazem bem

Deixamos de ver televisão durante a semana. E não é que se descobrem novos prazeres sem ela? E não, não estou a falar daqueles "prazeres" que estão a pensar. Neste caso estava até a falar no prazer de conversar calmamente, no prazer de ler um livro a meias com o meu filho do meio (que agora que aprendeu a ler não quer outra coisa), no prazer de estar simplesmente sentada no sofá a relaxar sem o ruído da televisão como música de fundo.

Poupa-se elecricidade, ganham-se laços, afectos, calma.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Li agora

que a Marta nasceu no dia 20 de Outubro. Quem acompanha a luta destes pais há tantos anos, compreende decerto a felicidade imensa que se sente ao saber desta notícia mesmo sem os conhecer pessoalmente.

Bem-vinda Marta!

E numa segunda-feira de Outono

ventosa lá fora, trabalha-se acompanhada de...


Como já tinha dito aqui, adoro esta rádio E agora que descobri o CD, levo-o para todo lado.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Acho muita graça

ver/ler algumas pessoas. Que dizem que não vale a pena protestar, que o país está na situação que está e que temos é que trabalhar para sair desta situação.

Pois. Pois sim. Mas agora pergunto: então mas não é isso que eu tenho feito a vida inteira, desde os 16 anos? Trabalhar, trabalhar, trabalhar e acabar quase a pagar para trabalhar? Trabalhar para me tirarem, ano após ano tudo o que tenho (ou devia ter) conquistado através do trabalho?

É giro. E quase me convenço que quem diz isso é quem até aqui tem andado a gozar o pagode, achando que os outros são iguais. Pois: "pimenta no cú dos outros... para mim é refresco!"

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Apesar de tudo

o fim-de semana até nem correu mal. Vi pessoas com quem já não estava há uns meses e que bem que me soube.

A minha família é, realmente, "a minha praia".

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Posts que li e que gostei (44)

Este. Proque este país não é mesmo para ninguém (ou quase ninguém, porque os que nos tiram o pouco que temos, esses, estão sempre garantidos).

Fazendo bem as contas

acho que vou pedir para a estrada.

É que não uma questão de até aqui termos gasto mais do que o que tinhamos (falo de mim e de outros como eu). É uma questão de ter assumido compromissos tendo em atenção àquilo que tinhamos. Se depois, vem alguém e nos tira um terço daquilo que temos... aí realmente passamos a ter menos do que o que temos que gastar (por forma a honrar compromissos assumidos).

Mesmo algumas poupanças que tenhamos feito (quando se podia), essas já se foram. E agora?

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

terça-feira, 11 de outubro de 2011

"You is kind, you is smart, you is important"

Já disse que adorei o filme que vi ontem?

Vamos ver o que dá

Voltei a adicionar na barra lateral os blogs que acompanho. É que deu-me a sensação que o problema do "bicho" que atacou a blogosfera já lá vai.

Também, se não tiver ido volto a tirá-los.

Ah, mais um conselho:

A melhor hora para se ir ao cinema é a hora do almoço (eu fui à sessão das 12.40h). Estavamos na sala, ao todo, 5 pessoas. Nada de pipocas, nada conversas ao telemóvel ou conversas com os parceiros do lado, apenas o filme e nada mais. Fantástico.


Ponto negativo (mas isso não tem nada a ver com a hora da sessão): Os 20 minutos de publicidade. Tenham dó!

"As Serviçais"

Ontem fui ao cinema. Fui ver "As Serviçais". Já andava há bastante tempo para ler o livro, mas a minha irmã ainda não mo tinha emprestado e ontem, cumprindo a tradição de ir ao cinema sozinha no dia dos meus anos (o que eu gosto), decidi ir ver o filme antes de ler o livro (costuma ser ao contrário).

O que posso dizer? MUITO BOM. EXCELENTE. É um filme que me deixou com vontade de o ver outra e outra e outra vez.

Não digo mais nada. Vão ver. Vale a pena.


Nota: Para quem tem o cartão de pontos da GALP, é uma óptima ideia ir ao cinema com este cartão. O catálogo nunca tem nada que me faça jeito e assim, por 500 pontos o bilhete de cinema custa apena 1€!

De volta

E pronto, acabaram. Os últimos dias de férias do ano.

Souberam "que nem ginjas", olá se souberam!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

As minhas verdadeiras férias

serão os próximos 3 dias úteis (quinta, sexta e segunda) em que estarei entregue a mim própria (miúdos na escola, marido no trabalho). Três dias inteirinhos só para mim.

Egoísta? Mãe desnaturada? Isso tudo. Durante 362 dias sou "a mãe dos miúdos" e a "mulher do marido". Nestes 3 vou ser a Carla, assim, sem outro "título" qualquer.

Beijos. Dia 11 cá nos encontramos.

Conto de fadas

Espero, tal como nos contos de fadas, eles sejam "felizes para sempre".

Sabe sempre tão bem ler coisas como estas...

Posts que li e que gostei (43)

Às vezes cruzamo-nos com um texto de alguém que escreveu aquilo que não somos capazes de expressar tão bem por palavras nossas.

Hoje foi uma dessas vezes. Alguém escreveu um texto que reflete aquilo que (sinto que) sou, enquanto mãe.

É isto. Nada mais que isto.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Vamos a ver se resulta

Apaguei a aplicação na barra do lado direito onde estavam os blogs que leio. Dizem que é a solução dos problemas aqui no blog.

A ver vamos

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Tenho lido em muitos blogs falar naquela coisa do "virus" que atingiu a blogosfera e que os indicava como blogs maliciosos

Como não me apercebi de nada neste blog, será que me podem dizer se têm dificuldade em aceder a ele?

Obrigada desde já.

Não era a estes que eu me referia no post anterior, mas passa a ser também...

Reparem no despacho n.º 12988/2011! A nós tiram, a eles ainda dão mais. Onde é que "os sacrifícios são para todos"?

O que me irrita realmente?

Ver quem muito tem aldrabar (encapotadamente) para conseguir ainda mais. E não poder dizer nada, porque privilégios são privilégios (políticas...). Assistir a isto, todos os dias, à minha frente, acreditem que desgasta...


daqui

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Adoro as manhãs da Rádio Comercial

E agora descobri uma rádio que me acompanha durante o fim-de-semana: "Smooth FM".

Espetáculo!!!

Ah, é verdade (isto também é um blog de economia doméstica)

O site "Para mim" é um site bastante interessante para quem está empenhado nesta coisa de poupanças no consumo.

E por falar em poupança nas compras

O Minipreço está a fazer uma promoção "Leve 2 pague 1". Com esta promoção ontem comprei 2 Persil Detergente líquido para a máquina "sabão azul e branco" 32 doses, pelo preço de 1 (6,98€)! E só não comprei o Tide detergente máquina roupa líquido "lima e mandarina", 40 doses, (1ª unidade 6,99€, 2.ª 1,40€ - -80%), porque já não tinha mãos. Mas a ver se lá volto hoje. São produtos que não têm prazo de validade e que valem a pena armazenar. E tendo o cartão do MiniPreço, ainda acumulamos cupões de desconto (que se podem utilizar repetidamente até 35 vezes) em diversos produtos.

A DECO anda a fazer umas contas que eu não percebo muito bem...

Aquele simulador que eles inventaram é um bocadinho "esquisito". Para já, não dizem que produtos é que metem naquele cabaz. Dizer que o cabaz completo "representa o consumo de uma família média portuguesa" e que "inclui 100 produtos das marcas mais vendidas e abrange todas as categorias" não quer dizer nada, atendendo às diferentes necessidades que todos sabemos que existem em cada família. Depois, dizer que um cesto só com marcas próprias é mais barato no Jumbo e no Pingo Doce que no MiniPreço... desculpem, mas não acredito (até porque fiz e faço compras nos três, com mais incidência no MP).

Conclusão: nada como sermos nós a fazer as contas e a descobrir onde podemos fazer as compras mais economicamente.

"A água custa dinheiro"

A sério Sra. Minstra? Obrigada pelo aviso. É que eu (e outros tantos como eu) ainda não tinha dado por isso, quando tenho que a pagar (e bem) ao final de cada mês, sabe?

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Os senhores cientistas andam a dizer que o Outono só começa amanhã

Ouvi isso na rádio de manhã e li agora na blogosfera. Tudo bem. Mas quando andava na escola, aprendi que as estações do ano mudam a 21. Portanto, para mim, ontem é que o Outono começou. E, neste caso,  somos todos livres de escolher, porque ninguém se chateia.

Quem gosta muito do Verão, pode começar a deprimir amanhã. Eu comecei a celebrar ontem. Porque eu sou mulher das estações intermédias: o Outono e a Primavera. E o Outono dá-me conforto.

Cá o espero...

Este não vou perder

Ah, pois, esquecia-me


daqui

com o Outono chega também a minha alergia ou rinite alérgica ou lá o que os médico decidem chamar-lhe. Tenho tal comichão na garganta que passo o dia todo a tossir... Daqui a pouco, como sempre, juntar-se-á à comichão os nariz tapado/nariz a pingar.

E os miúdos também começam a andar ranhosos. Iei! Que bom...(not)

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Bem-vindo Outono!

daqui
E vê lá se dizes ao Verão que tivesse trazido as temperaturas altas na sua altura, o tempo dele acabou, que agora é a tua vez de nos trazeres as temperaturas amenas, as roupas mais aconchegantes, as castanhas assadas, os bolinhos com chá e uma manta leve...

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

"Ah e tal, tens que ser mais optimista..."

daqui

Para mim, nada mais verdadeiro (o que diz na imagem...). E isto vem a propósito de quê? A propósito de ultimamente ouvir constantemente algumas pessoas  dizer que andamos muito pessimistas, que só pensamos nas coisas más, que temos que dar a volta por cima, que as pessoas levam tudo demasiado a sério.

Tudo certo. Mas, para mim, quem diz isso não sabe realmente o que é não ter comida para dar aos filhos (já não falo a si). Isso, só por si e sem ser preciso faltar mais mais nada, é o suficiente para não conseguir ver as coisas pelo seu "lado positivo". Falo por experiência própria, sei o que é uma mãe (a minha) não comer para dar (o muito pouco que tinha) às filhas. E sei o quão difícil é estar numa situação dessas e ouvir os outros dizerem "tem calma, tudo se resolve" e "vais ver que daqui a uns tempos as coisas melhoram", sabendo perfeitamente que só dependemos de nós para simplemente (sobre)viver. A minha mãe deu a vota por cima, sim. Mas à custa de muitos sacrifícios, de muita luta diária, sempre abdicando de muita coisa (e nós filhas também. Nunca ficamos de braços cruzados para ajudar). O que tem isso de positivo, quando sabemos que estamos novamente a voltar ao mesmo?

É fácil ser "positivo" quando temos tudo à mão, quando temos segurança. É fácil não "levar as coisas demasiado a sério" quando a fome e a falta de condições básicas não nos batem à porta. É fácil falar "bonito" do alto da segurança que alguns têm e que acham que todos deviam ter. Deviam, pois deviam. Mas não têm. E isso não tem nada de positivo.
daqui

Hoje já melhorei o dia de alguém especial que tem passado a vida a melhorar os meus. E sinto-me tão bem por isso. Só tenho pena de não poder ainda melhorar mais. Pelo menos para já.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Aos poucos a disposição tende a melhorar

Porque dei comigo a olhar para os outros e a perceber que me queixo demais e que existem vidas tão mais complicadas que a minha.

Não que não o soubesse, mas por vezes o cansaço é tanto que preciso de um "abre olhos" para acordar e mandar os meus queixumes para o "diabo que os carregue" e dizer "cá de mim p'ra que mim":

"LEVANTA-TE MULHER, QUE P'RÁ FRENTE É QUE É CAMINHO!"

terça-feira, 13 de setembro de 2011

"A queda dos gigantes" - Ken Follett


Sobre este livro, só uma pequena frase (pergunta): Quando chegam o Livro II e o Livro III?

Excelente.

"Com papas e bolos...

... se enganam os tolos."

Façam lá as contas: Mesmo para quem isto vai ser aplicado (mais uma vez a classe média leva com o peso todo...), o desconto é 6% na electricidade e 2% no gás. Se o IVA passa de 6% para 23%, no caso da electricidade o aumento continua a ser 11% e no gás15%.

Mas quem os ouve, até fica "convencido" que vão eles dar alguma coisa ...

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O que é que se dá

a uma afilhada, de quem se gosta muito, que (felizmente) tem tudo, no seu 18.º aniversário? E sendo a madrinha possuidora de recursos relativamente escassos?

Segunda feira

Por favor: dai-me serenidade porque isto hoje não está a começar nada bem...


retirado da internet

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

"... só o Contsinentse tem!"

A propósito deste post da Bad, tenho a dizer que lá em casa os anúncios do Continente, desde que são apresentados pelo rapaz que ela fala, são um motivo de riso entre todos. Os meus filhos mais velhos então, gozam à fatarzana o rapaz. Mas quem terá tido aquela ideia peregrina de pôr alguém que tem a mania que os "t" se pronunciam à maneira inglesa? Ainda por cima uma marca tão defensora do que é nacional!

"Contsinentse? O que é o Contsinentse?"

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

A minha opinião

Há que confunda opinião com arrogância. Há quem confunda crítica com agressivdidade.

Há quem seja muito bruto a falar/escrever e ache que apenas está a ser engraçado.

E há sempre quem siga esse alguém qual rebanho, apaparicando, bajulando. E isto existe em todos os sítios.


É a minha opinião. Pode ser que a esteja a confundir e seja apenas arrogância minha...

Exemplo de vida

"História de Vida - 4


Eu adorava o meu Pai. Ele era tudo para mim. Era a minha vida, o meu protector, o meu grande amigo e compincha. Passávamos horas a brincar e a conversar. Eu sabia que ele me amava incondicionalmente e ele sabia que eu precisava dele para ser feliz. A minha mãe era uma espécie de vulto. Estava lá, mas existia uma distância cerimoniosa. Não havia grande afecto, apenas um contacto quotidiano ditado pelas tarefas diárias.

Ele ensinou-me a pescar. A ler e a fazer cálculos. Disse-me que o melhor da vida é quando conseguimos parar o tempo. E que isso só acontece quando somos sinceramente felizes. Não existem horas ou dias. Apenas nós e as pessoas de quem gostamos e os momentos que vivemos juntos. Disse-me que era médico porque achava que todos têm direito a uma segunda oportunidade e que odiava quando falhava. Disse-me que o dinheiro corrompia quando é mal usado e ensinou-me a ser forte e a lutar apesar de todas as dificuldades que podiam surgir.

Tinha eu 15 anos e era um Domingo de Sol. Dia 15 de Junho – 11:32 da manhã – o momento em que o meu pai morreu. Foi uma dor muito grande. Tão grande que eu tentei suicidar-me logo a seguir à notícia, mas o meu Tio soube tirar-me a faca que eu tinha agarrado antes de fazer cortes mais profundos nos pulsos. Naquele momento eu não conseguia imaginar a minha vida sem o meu Pai, nem conseguia suportar aquela dor que me consumia por dentro. Eu sabia que o meu corpo estava vivo, mas a minha alma tinha morrido naquele dia.

Passei a andar em estado vegetativo, sem sentir nada, sem me importar com nada. E assim passou um ano. E a minha mãe onde estava? Andava demasiado ocupada a gastar o dinheiro do meu pai e namorar com um homem 20 anos mais novo. Sentia-me um miserável…

Num desses dias cinzentos em que estava a chegar a casa, passou por mim uma vizinha que já tinha sido paciente do meu pai. Ela olhou-me nos olhos disse-me que o meu Pai lhe tinha dado uma segunda oportunidade de viver e que era injusto o meu pai ter sido brutalmente atropelado sem ter tido uma única oportunidade de lutar pela vida. Abraçou-me forte e disse ao meu ouvido: ”Não desistas de ti. O teu Pai disse-me que apenas tu e a tua felicidade eram importantes para ele. Não o desapontes.” Cheguei a casa a chorar. Abri a porta da sala e encontrei a minha mãe a fazer sexo oral àquele homem nojento à frente da fotografia do meu Pai. Atirei-lhes a minha mochila e gritei-lhes o quanto os odiava e o quanto me causavam repulsa.

Enfiei-me no meu quarto e fiz uma promessa a mim mesmo e ao meu pai. Sair daquela casa quando tivesse 18 anos e ser médico tal e qual o meu pai. Assim, com 16 anos comecei a trabalhar todos os dias a estudar com afinco. Mal dormia, mal comia. Andava sempre com umas olheiras até aos pés. E enquanto isto, a minha mãe vivia uma vida de rica em que só se importava com sapatos e roupa e jóias e homens. Sim, porque ela passou a coleccionar namorados.

No dia em que fiz 18 anos fiz a mala e deixei um bilhete à minha mãe a dizer que tinha saído de casa, que nunca mais iria voltar e para ela esquecer que eu existia.

Entrei na universidade em Medicina. Paguei sozinho o curso e licenciei-me com a média mais elevada da minha turma.

Sou actualmente um neurocirurgião competente que dá uma segunda oportunidade às pessoas para viverem e serem felizes. Estou a ensinar o meu filho a pescar e estou a pagar o lar em que a minha mãe está internada com Alzheimer.

Vou todas as semanas ao cemitério onde me limito a ficar em silêncio e a pensar que o meu Pai deve estar orgulhoso de mim e que de certa forma, eu tornei-me num espelho dele. De tal forma, que por vezes me sinto ser ele, por mais estranho que soe."

Daqui

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Sinto-me

irritada. Irritada comigo. Irritada com os outros. Irritada com o tempo. Irritada com o Mundo.

Preciso de respirar fundo. Preciso de silêncio. Preciso de tempo para mim.

"Mas as férias não são feitas para descansar?" São, pois são. Ou não...

terça-feira, 6 de setembro de 2011

"Voltei, voltei! Voltei de lá..."

Já cá estou. Férias a saber a pouco, muito barulhentas (eta miúdos estridentes!), descanso em dose muito reduzida, tempo de caca. Deu, pelo menos, para me esquecer do trabalho. Que agora está de volta. Daqui a um mês gasto os últimos três dias que me restam. Esses sim, vão dar para descansar (miúdos na escola, marido a trabalhar, dias só para mim...).

Bom, vamos lá pr'à l(ab)uta...

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Olha! O meu bloguezinho faz 2 anos!

Pois parece que sim. Acho que dos blogs que já tive este é o que tem durado mais. Até um ano, acho que já consegui com outro, mas 2 anos? É um feito.

Parabéns blog, estás a ficar crescidinho.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Aprende a estar calada

Nem sempre és compreendida e depois tu é que ficas com remorsos por teres falado em vez de estares calada. Já devias saber.

3 dias!

3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS! 3 DIAS!

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Eu não digo...

é ou não é para rir?

Eu hoje é só rir...

Baixam-se os preços das vacinas contra as doenças tropicais, para o pessoal não deixar de ir passear... já o preço de algumas vacinas que os pediatras pedem que se dê (que não fazem parte do plano de nacional de vacinação)... ficam na mesma.

Primeiro aumentam "colossalmente" os transportes públicos

depois querem cobrar taxas para os carros entrarem nas cidades. 'Tá certo... já o Miguel Sousa Taveres tinha dito outro dia no seu comentário semanal " e ainda se admiram porque há quem prefira ficar em casa com o subsídio de desemprego..."

E de hoje a oito dias...

estarei de malas aviadas para a minha mais que adorada costa alentejana!

Já tinha dito que estou desejosa das férias?

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Por causa da escola deles estar fechada em Agosto...

estes primeiros 3 dias têm sido de dias com os dois miúdos mais novos no trabalho. O meu marido só pode tirar férias a partir de amanhã e eu só de amanhã a 8 dias.

Só posso dizer que não têm sido fácil.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Normalmente quando não gosto de alguma coisa

não volto a utilizar/ver/ler/fazer/comer/beber.

Hoje é dia de abandonar alguns blogs que lia. Não vale a pena seguir aqueles que já não me dizem nada. Por isso, a lista ficou mais pequena.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Férias / Livros

Para já (e se não me lembrar de outro...) o livro eleito para me acompanhar nas férias via ser este:


Uma vez que é difícil andar com livros tão pesados nos transportes públicos (que é onde eu mais leio), este é um dos 4 "enormes" livros ("A queda dos Gigantes", As Benevolentes", "A Montanha Mágica" e "Eu sou Charlotte Simmons) que eu tenho guardado para períodos de descanso. Desta vez foi este que escolhi. Possivelmente levarei outro também (mais leve), mas ainda não decidi qual.

E já só faltam 13 dias...

quinta-feira, 28 de julho de 2011

"Estupidez criminosa"

"A corrida para o vídeo famoso



por FERREIRA FERNANDES



Há limites para anedotas? Alguém, lúcido, disse: "Eu conto anedotas sobre tudo mas não conto é certas anedotas a toda a gente." Não nos rimos de anedotas racistas (e há-as, boas) com racistas. E vídeos? Aí, o critério é mais relaxado. Há dias que Portugal se ri com o Hélio, titubeante ao skate ("sai da frente Guedes!"), descendo uma estrada, lançando uma frase épica ("o medo é uma cena que a mim não me assiste"), cruzando um automóvel e espalhando-se na berma. O vídeo foi visto no YouTube em quantidades maiores que as enchentes do Estádio da Luz num ano, as televisões entrevistaram os pais do Hélio, rimo-nos todos. E, no entanto, o vídeo do Hélio é uma estupidez criminosa que acabou bem. Exemplo de uma estupidez criminosa que acabou mal: António, de 17 anos, foi de madrugada para uma auto-estrada tourear carros. Deveria haver também um Guedes com um vídeo a filmar, mas fugiu, sem coragem de mostrar o atropelamento e a morte do António. Sem coragem, e daí não sei... Talvez ainda apareça no YouTube - e nos online dos jornais - a morte do António. A estupidez das pessoas (e não estou a falar só do grupo do António) é infinita. Aqueles que têm a arma de propagação da estupidez nas mãos - dos grupos de popularização dos Hélios até ao YouTube, passando pelos jornais e televisões - deveriam pensar nos limites. O próximo passo é pôr o vídeo de um garoto a atirar um pedregulho, de uma ponte, para a auto-estrada?"

Não podia estar mais de acordo.

E pronto

está aí o Verão. Com um calor imenso, que não se está bem em lado nenhum (pelo menos eu não estou), pelo lado menos bom da coisa, com os transportes um bocadinho menos cheios e mais rápidos a chegar ao destino, pelo lado melhor da coisa.

E faltam 14 dias...

terça-feira, 26 de julho de 2011

Nota para mim e para ti

Ajuda-me. Prometo que que não volto a cair no mesmo erro. E prometo que vais ficar orgulhoso.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Coisas que me põem fora do sério logo de manhã

Atender uma chamada e a pessoa do outro lado aperceber-se (pela minha voz) que se enganou e desligar o telefone sem dizer nada.

quinta-feira, 21 de julho de 2011