segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Eu estou feliz

quando a minha irmã está feliz. Ela merece.

Ainda a propósito do post anterior

O vídeo é feito à volta de uma rapariga, mas podia ser com um rapaz. Porque eles sofrem tanto como elas, apesar de muitos acharem que não. Porque são rapazes, são fortes, são mais resistentes a estas coisas.

A verdade é que não são.

Forte

Através do blogue da Sofia conheci este vídeo e foi impossível ficar indiferente. Com um filho adolescente com alguns problemas de auto-estima, ao ouvir esta música, ao ver estas imagens fico com um frio na barriga. E concordo plenamente com a Sofia: é uma mensagem que deve chegar a todos, filhos e pais.

Vejam:

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

daqui

Eu não desgosto da chuva

mas tenho um limite de saturação. E quando chego a esse limite, começo a ficar muito irritada com a chuva e com os dias de chuva.

Pois bem, já atingi esse ponto de saturação. E daqui para a frente, se a chuva continuar, acho que vou andar muito mal disposta. S. Pedro, vê lá se tratas disso, e trazes Sol, ok?
daqui

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

As melhores coisas da vida (para mim) - 2

13 - A minha mãe (não é uma coisa, claro, mas é a melhor mãe);
14 - Um duche demorado ao final do dia, com água muito quente;...
"A felicidade não é conseguir o que se quer. É querer o que já se tem."

50 lições que a vida me ensinou, Regina Brett

"just relax and listen to the waves"

experimentem...

Quem lê o título e a primeira parte da notícia

até acha que ele está solidário com todos os outros. Até que lê o resto da notícia e...pela nova lei ele até é obrigado a fazê-lo...

Hoje

Dia de pediatra dos mais novos. Nestas coisas de médicos, sou um bocadito mãe despreocupada. Se eles não estiverem doentes ou com algum sintoma esquisito, vou protelando a ida de rotina ao médico. Constipações, gripes e febres inferiores a três dias, curam-se em casa, para quê ocupar o lugar de consulta a outros que precisem mais?

Constatei que já não iam lá desde Abril. Este ano, para já, o Inverno está a correr muito bem. Nada de otites, doenças que necessitem antibióticos, febres anormais. Tudo tranquilo. E a consulta foi mesmo de rotina, só para não dizer que não vamos lá marcar presença. Os moços estão bem, a crescer a um ritmo completamente normal, o peso está dentro do normal para crianças das suas idades (nem mais, nem menos), vacinas em dia. Agora, e porque o plano recomenda, é marcar oftalmologia e higienista e os moços ficam prontos para lá voltar apenas daqui a 6 meses (ou mais, se eu não me esquecer e eles estiverem bem...).

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

A quem interessar

tinha-me esquecido de falar nisto:

Atesto por minha honra (cof, cof) que estes queques são mesmo uma delícia. No fim-de-semana fizeram-se 3 (sim!) dúzias deles e (tirando a meia dúzia que levei à minha mãe), neste momento restam 4...

Hoje acordei com cara de padre

Só pode. Hoje, que até é um daqueles dias em que gostava que me deixassem um bocadito sossegada (por nada de especial, apenas gostava de ficar calada no meu canto), parece que toda a gente escolheu para vir ter comigo e desabafar os seus problemas e dilemas.

Help!
"As crianças e os velhos sabem como viver. As pessoas que estão nas pontas da vida são as que mais se divertem. Não se importam com o que os outros pensam. Ou são novos demais para saber melhor ou velhos demais para se importar. Nós, que estamos no meio, podíamos aprender alguma coisa com eles."

50 lições que a vida me ensinou, Regina Brett

Warning - Jenny Joseph

"When I am an old woman I shall wear purple
With a red hat which doesn't go, and doesn't suit me.
And I shall spend my pension on brandy and summer gloves
And satin sandals, and say we've no money for butter.
I shall sit down on the pavement when I'm tired
And gobble up samples in shops and press alarm bells
And run my stick along the public railings
And make up for the sobriety of my youth.
I shall go out in my slippers in the rain
And pick flowers in other people's gardens
And learn to spit.

You can wear terrible shirts and grow more fat
And eat three pounds of sausages at a go
Or only bread and pickle for a week
And hoard pens and pencils and beermats and things in boxes.

But now we must have clothes that keep us dry
And pay our rent and not swear in the street
And set a good example for the children.
We must have friends to dinner and read the papers.

But maybe I ought to practice a little now?
So people who know me are not too shocked and surprised
When suddenly I am old, and start to wear purple."

É bonito , não é? É nosso...

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Oooooooooh...

Sobre as eleições - Abstenção

Continuo a afirmar que quem diz que não votando, abstendo-se, é que manifesta a revolta contra os políticos, é, pura e simplesmente... burro.

Como é que não votando se muda alguma coisa? Expliquem-me como se eu fosse uma criança de 5 anos, porque eu não percebo.

Então querem que as coisas mudem e permitem que os outro decidam por vós? Não se esqueçam que quem vota sempre nos mesmos, votará sempre e ganhará sempre porque aqueles que preferem ficar no bem bom, com o "tutu" no sofá, a mandar vir "ah e tal, isto está mau, são todos corruptos...", não votaram.

53,4% de pessoas que não votaram. 53,4% de pessoas que poderiam ter feito a diferença, que poderiam ter mudado alguma coisa.

Isto está mau? Pois está, aguentem-se à bronca. Vocês quiseram assim. Eu não quis, mas por vossa culpa, também tenho que aguentar.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Mudei o desenho ali da pandilha

sim, porque o filho mais velho está maior que eu e do tamanho do padrasto... e a mais pequena está uma "foliona".
"O meu pai nunca me dizia 'Não podemos pagar isso'. Nunca ouvi as palavras 'não temos dinheiro'. Olhava para o que queríamos e dizia 'Não precisas disso'. E tinha razão. Claro que não precisavamos daquilo. Apenas o queríamos. Ensinou-nos a gerir os nossos desejos. (...) Viver em abundância (...) começa por sabermos que aquilo que desejamos nem sempre é necessário e, muitas vezes, nem é sequer o que realmente queremos."


50 lições que a vida me ensinou, Regina Brett

"Em boca fechada não entra mosca"

O Sr. Silva, qualquer dia, tem um enxame dentro da boca.... Não gosto de nenhum candidato, conforme já afirmei não considero nenhum deles sério, mas isto é demais.

Tão feliz, tão feliz

que nem vou comentar o nome da bebé do momento...

Eu, com o sol,

sou tão mais feliz!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Leitura

Há quem se queixe que não consegue ler com ruído de fundo, com barulho. Já eu não sofro com esse problema. Quando me sinto cativada por um livro, nada nem ninguém me separam dele. Começo a ler as primeiras palavras e... entro na história, consigo anular por completo o ruído existente à minha volta.

No autocarro, por exemplo, chego a abstrair-me de tal maneira que já aconteceu ter de sair na paragem seguinte porque deixei a paragem onde devia sair lá atrás...

O meu maior obstáculo à leitura é ler deitada. Na cama, no sofá, em qualquer lado. Se me sentar, tudo bem. Se me recosto mais, me ponho numa posição mais inclinada... começa a dar-me o sono e não há livro, por mais excitante que seja, que me consiga acordar.

Coisas que me causam urticária

Pessoas que assambarcam o trabalho por acharem que são insubstituíveis.

Não são.
"...a vida continua sempre. Dá-te razões para chorar e razões para rir. É a vida, Josephine, confia nela. A vida é uma pessoa, uma pessoa que é preciso tomar como parceira. Entrar na sua valsa, nos seus redemoinhos, por vezes obriga-te a engolir água salgada e julgas que vais morrer, depois agarra-te pelos cabelos e deixa-te mais adiante. Por vezes esmaga-te os pés, por vezes faz-te dançar. É preciso entrar na vida como se entra numa dança. Não parar o movimento chorando por si mesmo, acusando os outros, bebendo, tomando pequenas píluals para amortecer o choque. Dançar, dançar, dançar. Superar as provas que te apresenta para te tornar mais forte, mais determinada."

Os olhos amarelos dos crocodilos, Katherine Pancol

Afinal foram precisos 42 anos

para encaixar nesta cabeça dura e despassarada que tudo o que fizeres bem, mais tarde ou mais cedo (mesmo que tenhas que esperar muito), acaba por ser recompensado. Hoje é dia.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Afinal sempre arranjei resoluções para o novo ano

Tinha-me esquecido, pois. E essa resolução tem a ver com o facto de não voltar a comprar livros enquanto lá em casa residirem exemplares por ler. É claro que de vez em quando sempre me oferecem algum, como foi o caso dos dois últimos que me chegaram às mãos nos meus anos, mas isso não conta porque não sou eu a comprá-los.

Não é bem uma resolução de ano novo, porque já o tinha decidido precisamente na altura dos meus anos. Mas a ver se a consigo cumprir. Até agora tenho conseguido, mas faço um esforço tremendo...

Não gosto de musicais

Tirando muito raras excepções (a famosa "Fama" dos meus tempos de adolescente, e o recente Mamma Mia, o filme), não gosto de musicais.

Há uns anos, e porque o meu marido adora fado (eu gosto de algumas coisas), fomos ver o musical "Amália". Tal como previ, aquilo que ele considerou fantástico, foi para mim uma seca descomunal.

Por isso, esta série que tanto sucesso faz, "Glee" de seu nome, é coisa para me fazer olhar para o ecrãn dois minutos e passar ao canal seguinte ou ao livro do momento. Não consigo gostar. Não consigo mesmo.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Ainda a propósito de filhos

Ontem , tal como tinha dito, foi a reunião na escola do mais velho.E, confirma-se aquilo que eu disse. Que este meu filho é uma excelente pessoa, que de uma turma de 28 alunos é dos poucos que não tem faltas, que o comportamento é exemplar, mas... as notas não são nada o reflexo daquilo que ele sabe e é capaz de fazer. Bastava um bocadinho de empenho e seria capaz de ter resultados muito melhores do que os que tem.

E agora, é a minha vez de pedir conselhos (contradição em relação ao post anterior, não?): O que se faz a um filho que não gosta de estudar, apesar de sabermos que ele é inteligente e que é capaz de chegar longe?



Em relação à reunião do filho do meio, também se confirmou o que eu disse: excelente em todas as áreas e disciplinas, excepto no que toca a "comportamento", pois o moço dispersa-se com demasiada facilidade e raramente está calado... mas, apesar de tudo, a professora está muito satisfeita com ele.

Para mim (falo com a experiência de mãe de três filhos completamente diferentes em termos de feitio), nestas coisas da maternidade

o importante é desdramatizar. Quanto mais drama fizermos à volta deles, pior é. Quanto mais os protegermos e conservarmos na redoma, mais dependentes eles se tornam e mais hipóteses há de se tornarem adultos sem capacidade de decisão, sempre à espera que alguém resolva os problemas por eles.

Por mim, sei que estou a fazer um bom trabalho. Faz-me confusão ver crianças demasiado "agarradas" aos pais, assim como me faz impressão ver pais (mães, especialmente) completamente colados aos filhos, não lhes dando quase espaço para respirar. Eu não sou assim e não quero que os meus filhos o sejam. E sei que somos felizes e que não é por causa da minha maneira de ser e de agir que nos amamos menos que os outros. Os abraços, os beijos, as brincadeiras e as palavras que trocamos diariamente comprovam-no.

Presunsosa, eu? O que quiserem. Acho que apenas falo daquilo que sei e que sinto. Claro que todas somos diferentes uma das outras, mas (e esse foi o motivo que me levou a escrever este post) acho que algumas mães têm necessidade de exagerar para parecerem melhores que as outras mães, para parecerem que gostam mais dos filhos que as outras mães.

Desculpem, mas eu não entro nessa.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

daqui
daqui

Ultimamente a minha vida tem sido assim

daqui
Neste momento o dia-a-dia é o mesmo, sempre o mesmo, com muito pequenas variantes. Sem perspectivas de mudança.

Tenho que aranjar força de voltade para alterar as coisas, nem que seja um bocadinho. Apenas o suficiente para a vida deixar de ser chata. Porque senão torno-me chata. E eu não quero ser chata.


Nota: post escrito depois de almoço, com uma enorme vontade de fazer uma sesta.
daqui

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Ando há que tempos para escrever isto

Eu só espero que não desatem a cair para aí pássaros mortos em Portugal. Pelo menos nos sítios por onde eu passo. É que com a aversão que eu tenho a bichos com penas, ainda por cima mortos, era coisa para me deixar em estado de histeria e de me fazer ficar prisioneira em casa até que os retirassem...

Os Pilares da Terra, de Ken Follett


Um livro (2 volumes, mais concretamente) que adorei. Como descrevi na altura, hesitei antes de os comprar, tanto pelo preço como pelo estilo algo narrativo. Ainda bem que essa hesitação durou segundos. Vale a pena ler. É maravilhoso. E agora... agora a série. A passar no AXN há três semanas, a começar na TVI amanhã. Só tenho a dizer que nunca uma série (ou filme) me pareceu tão fiel ao livro como esta. Os cenários são tal e qual eu os imaginava, as personagens igualmente. Muito bom. Muito bom mesmo.

Leiam. Vejam. Verão que vale a pena.

Sobre a morte de Carlos Castro

A quem diz "coitado do rapaz, estava a ser assediado, ele só tinha uma relação profissional com o homem, o outro é que o estava assediar" e outras coisas que tal, só tenho a dizer que um adulto de 21 anos (modelo, com um bom físico, praticante de desporto) que partilha durante vários dias um quarto num hotel com um adulto de 60 e tal anos, sem lhe virar costas no primeiro dia (na hipótese de não saber de antemão que vai partilhar o quarto), não me parece que esteja a ser obrigado ao que quer que seja...

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Hoje tenho reunião de pais do filho do meio,

terça do filho mais velho. Na de hoje, espero reporte de boas notas e comportamento menos bom (Não é que ele seja mau, mas distrai-se facilmente e acaba a distrair os outros). Na de terça, espero o contrário: bom comportamento, notas más. O meu filho mais velho não gosta de estudar. Pura e simplesmente. Não tem a ver com método de estudo, não tem a ver com dificuldade em aprender. Simplesmente não tem interesse absolutamente nenhum pelo estudo. Acontece que em relação ao mercado de trabalho, com uma licenciatura é o que se vê, quanto mais com o 9.º ano (ele está no 11.º ano, mas já ficou com 2 disciplnas do 10º por recuperar). Mandá-lo para um curso profissionalizante? Pensamos nisso, mas acaba sempre por bater no assunto estudo, mesmo que a componente teórica seja menos intensiva que no ensino que ele frequenta. Arranjar um emprego? Onde, com a idade (16) e habilitações que ele tem?

Vamos continuar a insistir para que ele termine, pelo menos, o 12.º ano. Entretanto, e ele tem consciência disso, que se não conseguir terminar o 11.º ano este ano, vai ter que encontrar algo que fazer, um trabalho. Nem que seja a varrer ruas. Os tempos não são fáceis e na nossa família o lema é "para se ter alguma coisa, tem que se merecer por isso". Mas isso, ele sabe. Sempre soube.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

...

sem palavras

E pela primeira vez, em muitos anos de cidadã votante

tenho a certeza que nenhum dos candidatos a Presidente da República merece o meu voto.
Nenhum me convence e todos me fazem ver que não são suficientemente sérios para a seriedade (perdoem-me a redundância) que o cargo exige.

Não deixarei de ir às urnas, mas...

Um retrato dos nossos políticos (todos, sem excepção)

Agora só um conselhozinho...

pessoas sem filhos que oferecem baterias aos filhos dos amigos... é bom que se preparem para o fim de uma bela amizade!

Acreditem, ofereceram, em tempos já idos, uma ao meu filho mais velho e só me ocorreu, no momento, meter-lhes a bateria num sítio que eu cá sei.

Sobre as modas

Isto é mais uma prova que o pessoal acredita em tudo o que lhes impingem só porque "está na moda" ou é "in" usar.

É como os cupcakes, os nossos vulgares queques. Digam lá que não é muito mais chique chamar-lhes cupcakes?

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

As melhores coisas da vida (para mim) - 1

1 - Uma gargalhada sonora, especialmente quando vem de um dos meus filhos;
2 - O silêncio;
3 - Um passeio junto ao mar, no Inverno;
4 - O aroma do café;
5 - Um abraço;
6 - Livros, muitos livros;
7 - Um edredon quentinho (no tempo frio, claro)
8 - Beijos à e daqueles que amo;
9 - A chuva a bater na janela;
10 - Dias de muito sol e frio no Inverno;
11 - Pão quentinho;
12 - Mousse de chocolate;..

Vi um post num blog que tinha o título "The best things in life (for me)

E gostei do conceito. Por isso vou pegar na ideia e vou fazer uma lista daquelas que são as melhores coisas da vida para mim. Ou melhor, vou fazendo ao longo do tempo, conforme me forem surgindo.

Sobre o Biggest Loser

E o gozo que me deu ver ontem a Tara a ganhar o desafio e a imunidade, mesmo como peso todo que aquele idiotas lhe puseram em cima? Em vez de a enfraquecerem, apenas lhe deram mais força!

Hoje acordei...

praticamente surda. O ouvido direito está completamente tapado e o esquerdo está a meio gás. Parece que estou no fundo de um poço. Falam comigo e eu tenho que fazer um esforço tremendo para os perceber. Não sei o que aconteceu, mas espero que passe rapidamente. É que isto de estar no fundo de um poço não é nada, nada agradável.

"Para serem mais honestos que eu têm que nascer duas vezes"

Ah, pois é... "Que bem prega Frei Tomás..."

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Não existem palavras para descrever o que sinto

ao ler isto. 11 anos de prisão? 11 anos de cama, comida e roupa lavada para estes animais. 'Tá certo... Para mim, era começar com um tiro na ponta da unha do dedo mais pequeno do pé e ir continuando a disparar por eles acima até à cabeça. Mas sem os matar. Para sofrerem na pele. Bem sofrido.

Para mim Inverno e trabalho (de emprego) não combinam

Porque com este tempo não apetece acordar cedo. Porque com este tempo não apetece abandonar o edredon. Porque com este tempo sabe bem é estar em casa, acompanhada de um livro, de música, de jogos com os miúdos, de receitas de bolos e bolachas para acompanhar o leite ou o chá. Porque com este tempo é deprimente estar fechado entre as quatro parades de um local que não sentimos como nosso, como a nossa casa.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

E que me perdoe o Raúl Solnado, onde quer que ele esteja

mas eu não gosto nada da expressão "façam o favor de ser felizes". Fazer favor? Fazer favor é fazer contrariado. É fazer obrigado.

Para mim a felicidade não é uma obrigação. Sentir-mo-nos felizes não é um frete. Por isso, desculpem lá,  não faço favores a ninguém.

E isto já se passou lá em casa

Só que  é ele (o do meio) é que dá as instruções a ela (a mais pequena):

daqui

E o que eu me revejo nestes quadradinhos...

eis uma pequena amostra da minha filha:


daqui



Acabaram-se as festas...

(ainda falta o Dia da Reis, mas isso já não conta) Agora só em Março é que virá lá um feriadito. Portanto... tocá bulir, que o ano é novo e precisa que o estimulem!

Labels

... (186) ' (1) 'Cóltura (1) 'o melhor país do mundo' (9) 'o melhor país do mundo'; (1) 'One Good Deed a Day' (15) "Cóltura" (5) "o melhor país do mundo" (78) 101 coisas em 1001 dias (4) 2010 (8) 2011 (7) 2012 (6) 2013 (2) 2013 Technicolor (55) 2014 (3) 25 de Abril (2) 30 dias para o Natal 30 agradecimentos (30) 31 dias para o Novo Ano 31 desejos (31) a idade não perdoa (1) a minha família (9) a minha família e a blogosfera (3) a vida como ela é (121) actualidade (1) ai (1) ai... (1) alegria no trabalho (1) almoço (1) amigos (8) animais (12) aniversários (38) aprender (2) aquilo que eu acho (1) as amantes do verão (31) atletismo (1) atrasados mentais (2) Benfica (5) blog (36) blogger (2) Blogosfera (162) Boas ideias (1) bullying (1) cabeça no ar (2) calor (1) cansaço (1) Carnaval (5) cinema (21) Citações (26) coisas boas (4) coisas da maternidade (1) coisas giras (2) coisas hilariantes (1) coisas minhas (89) coisas que gosto (142) coisas que me acontecem (1) coisas que me sabem bem (1) coisas que não compreendo (2) coisas raras (1) coisas sem interesse nenhum (1) coisas simples (1) conselhos (5) crise (1) crónicas (1) culinária (18) de vez em quando sabe bem desabafar (1) decisões em família (1) desafio 12 meses (12) desafios (143) desporto (3) dias especiais (17) dinheiro (52) doenças (37) eleições (10) escritores (1) escritos que gosto (3) estação favorita (2) estações favoritas (5) Eu (283) eu sou assim (4) Eu sou dadora de sangue com muito orgulho (1) Eu sou dadora de sangue com nuito orgulho (1) exageros (1) F/M (4) faltas de educação (15) Família (103) (9) felicidade (6) férias (107) Filhos (199) fim-de-semana (1) finanças (6) fobias (1) fora do trabalho (1) fotografia (94) fruta (1) Futebol (44) grandes verdades que vou encontrando por aí (1) greve (2) gulodices (1) hobbies (23) idade (1) Idiotas com "i" grande (1) idiotices sem explicação (6) indecisões... (4) Inícios (8) intuição (1) irmã (1) irritações (1) jornais (16) justiça para todos? (14) liberdade (2) Lisboa (1) livros (80) marmitas (1) mau feitio (1) mau feitio... (209) mazelas minhas (2) mimos (15) momentos bons (1) Mundo (49) música (106) música/dança???? (1) Natal (72) net (62) o melhor país do mundo (9) Pai (5) palavra do dia (36) parvoíces (3) parvoíces minhas (1) parvoíces... (59) pausas que me sabem bem (1) pequenos prazeres (1) perda de peso (7) pessoas especiais (39) pessoas por aí (1) Pobre Portugal... (8) poesia (1) Política (125) Portugal (128) Portugal - liberdade (4) Portugal. liberdade (4) poupança (7) praia (3) preguiçosa (1) Projecto 365 (67) publicidade (30) quando eu era pequenina (6) Rádio (25) reflexões (56) relaxar (4) revistas (3) Saúde (36) selos (4) sobre os preconceitos e as lições que a vida nos dá (1) sol (1) solidariedade (2) sonhos... (1) Tejo (1) Tempo (115) tenho frio (1) todos diferentes todos iguais (1) tontices (2) trabalho (158) trabalhos manuais (2) trânsito (3) transportes (6) tv (80) vícios (6) vida escolar (45) YES (1)

Também leio...

As fotografias inseridas neste blog têm origem em:

- Mim própria;
- i can read;
- And it's love;
- vi.sualise.us;
- google;
- Pinterest

Qualquer foto vossa que aqui estiver e que não queiram publicada, digam, que eu retiro imediatamente.